sábado, 11 de agosto de 2012

POEMA DE ALTO NÍVEL POR SHAUARA DAVID

O DILUIR DOS ANOS

É o sono ou o quarto tornou-se bolas azuis
frenéticas, espelhadas
dançando farpas e beijos?

Pensei que era festa
quando tive meu primeiro cartão de crédito
mas as luzes apagam antes do amanhecer.

Ainda me chamam moça
invertebralmente aqui dentro
 fios  e cacos cortantes
inútil enganar meus companheiros invisíveis;
Somos sós.
Quando custo a crer nos mil
anos em que nasci.

Só peço quando estiver deitada na cama de madeira
por favor, não me cubram os pés
formalizar despedidas é agonizante.

Ri em mim lembranças da infância irretocável
torno-me como elas, as crianças
atemporais, inteiras, entregues
doidas.

Com os pés desnudos, imundos de brancura.
                                          
                                                          (Shauara David)

Nenhum comentário:

Postar um comentário