quinta-feira, 15 de novembro de 2012

ARQUEOLOGIA AFRICANA

Arqueólogos identificam lanças de 500 mil anos na África

Cientistas fizeram experimento com réplicas para descobrir se pedras eram usadas em pontas de lanças
Foto: Jayne Wilkins/Divulgação

Pesquisadores das universidades de Toronto (Canadá), do Arizona (EUA) e da Cidade do Cabo (África do Sul) afirmam ter achado evidências da produção de lanças há 500 mil anos - cerca de 200 mil anos antes das mais antigas armas desse tipo conhecidas. A descoberta, afirmam os arqueólogos, pode mudar a forma que pensamos sobre as adaptações humanas e as capacidades antes mesmo do surgimento da nossa espécie. A pesquisa foi divulgada nesta quinta-feira na revista Science.

"Esta descoberta demonstra uma série de comportamentos complexos em ancestrais humanos que viveram 500 mil anos atrás, que é mais cedo do que se pensava anteriormente. Fazendo uma lança de ponta de pedra requer pedra, madeira e materiais de ligação e de muito mais tempo do que apenas afiando uma lança de madeira. Esta é uma tecnologia complexa, que exige planejamento, preparação e tempo. Todos os materiais devem ser reunidos, preparados e montados muito antes de qualquer caça ocorrer", diz ao Terra Jayne Wilkins, do Departamento de Antropologia da universidade canadense.

Quem usava essas lanças?
Se o ser humano só surgiu - até onde sabemos - cerca de 300 mil anos depois, surge a dúvida: quem usava essas armas? Segundo Jayne, a taxonomia dos ancestrais humanos na África e Europa nessa época ainda não é bem entendida e nenhum fóssil foi descoberto ainda na região de Kathu Pan 1 - onde foram achadas as lâminas.

"A idade da camada das pontas é de 500 mil anos e precede a primeira aparição dos neandertais, assim como a origem dos humanos modernos. Estudo genéticos recentes situaram o ancestral comum mais recente de neandertais humanos modernos em entre 400 mil e 800 mil anos atrás, então os produtores das lanças foram um ancestral, ou muito próximo, da divergência humanos-neandertais. A maioria dos estudiosos considera este ancestral como sendo o Homo heidelbergensis, cuja capacidade cranial estava dentro de 10% da nossa própria, mas ainda seria muito diferente do moderno Homo sapiens", diz a cientista.

O uso das lanças
Conforme a pesquisadora, as primeiras armas de pedra deveriam ser muito simples. Essa tecnologia seria muito difícil de ser identificada arqueologicamente. Contudo, usar pedra afiada na ponta de uma lança é um grande avanço, inclusive sobre simples lanças de madeira afiadas.

Como saber que não são pedras comuns?
Outra dúvida que surge é: como os arqueólogos sabem que aqueles objetos não são pedras comuns? "Quando a pedra é modificada intencionalmente por humanos ela exibe certas características diagnósticas. Para fazer uma pedra, você acerta uma rocha - o 'núcleo' - com uma rocha mais dura - um 'martelo' - para desprender uma lâmina com várias extremidades afiadas. Essa lâmina tem características que a faz parecer diferente de uma rocha que quebra devido a um processo geológico natural. Como arqueólogos, nós passamos muito tempo olhando para ferramentas antigas assim como pedras ordinárias, sem modificações, e, após um pequeno treino, se torna muito claro quando ela foi quebrada intencionalmente."

Retirado de terra.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário