sábado, 16 de março de 2013

COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS EM PÉ DE GUERRA


As atribulações que se deram desde a escolha do novo presidente da Comissão dos Direitos Humanos no Congresso Nacional, expõem mais que um debate ideológico em favor da democracia: na verdade se tornou uma batalha entre a militância gay e os evangélicos, mesmo que hajam outros grupos envolvidos em questão.

Todo debate é importante para a democracia, no entanto vejo este com precaução e temendo um acirramento radical de ambas as partes. Enquanto as redes sociais se tornam o principal campo de batalhas alimentado pela mídia televisiva com injeção banal e sarcasmo, a discussão dos direitos de todos e quaisquer grupo social brasileiro vai ficando em segundo plano ou fora dele.

Renúncias e Cassações - As armas da vez são as mobilizações de ambos os grupos pedindo a renúncia ou a cassação dos principais representantes um do outro. Posso até estar vendo "tempestade em copo d'agua", mas se os ânimos ficarem acirrados as consequências podem sair do controle.

"Liberdade, Igualdade e Fraternidade" entrou para a História mas ficou presa nos ideais do objeto usado para sua própria produção: o passado.                                    


Nenhum comentário:

Postar um comentário