terça-feira, 12 de março de 2013

TROCANDO IDEIA COMIGO MESMO - DUVIDO VOCÊ LER ATÉ O FINAL

Se tem uma coisa que gosto de fazer, é refletir sobre o ontem e o hoje na minha vida, também penso no futuro mas ajo agora para que ele aconteça como eu quero. Hoje eu reclamo de muita coisa porque sei que tenho potencial para conseguir uma estabilidade profissional, e até consegui quando passei no Concurso Público de Perda Preta, mas este foi anulado e minha alegria virou frustração.

Não quero que ninguém tenha pena de mim (esse é um dos piores sentimentos que alguém possa nutrir por minha pessoa), mas lhes conto que como muitos de minha infância: Já morei em casa de taipa, já comi farinha com sal porque açúcar era artigo de luxo; já bebi caldo de feijão puro porque a farinha também virava artigo de luxo. Carne? Verdura? Biscoito cream cracker? Só quando adoecia.

Sua vida mudou Cícero? quando cheguei na primeira série aos nove anos no EEFOC (ainda analfabeto), no meio do ano me transferiram para uma turma mais avançada devido meu nível estar além de meus colegas que haviam passado pela pré-escola; em todas as turmas que passei ganhei notoriedade por meu desempenho (EEFOC, Eloy e Pedro II).

Meu despertar: Quando terminei o Ensino Médio fui para Natal trabalhar como servente de pedreiro, nada mal para quem já tinha trabalhado fazendo carvão, mas eu sabia que estava desperdiçando o potencial de um dos destaques de todas as turmas que estudei (desculpem a falta de modéstia). Depois de trabalhar em um hotel como auxiliar de lavanderia, estava bom (carteira assinada) mas eu sabia que ainda era capaz de algo melhor, então resolvi fazer vestibular para Licenciatura em História na UERN, passei e depois de alguns dias de curso eu recebia elogios de professores e colegas de turma.

E daí? Quando eu me via sem emprego e sem recursos para xerocar as apostilas, pensava em desistir mas minha mãe me fortalecia com suas sábias palavras de alguém que mal sabia assinar o próprio nome, mas sabia a importância dos estudos justamente por não tê-los; recorria aos meus amigos, Marcílio Moreira, professor Canindé Rocha, Irene Martins, meus irmãos Alex e Vanuza. Assim conclui meu curso "aos trancos e barrancos", mas fui até o fim por saber ouvir bons conselhos de quem queria meu bem.

Foi recompensado? Claro, parcialmente mas fui. Além do grande salto na minha evolução mental, consegui uma bolsa na UFERSA para Licenciatura em Computação e Informática; consegui alguns contratos no Francisco Garcia, Eloy, EEFOC e Pedro II; esta semana consegui minha maior vitória até o momento:  passei em primeiro lugar para facilitador de Oficinas em um Processo Seletivo da Assistência Social. Não é nada demais, afinal eu sei que ainda sou capaz de algo melhor, mas em tempo de crise em que vivemos, termos a convicção de estarmos empregado pelo menos até o fim do ano e saber que isso foi graças a minha capacidade intelectual, é uma vitória para guardar na memória e se preparar para um concurso de cargo efetivo.

Um conselho! Educação é a base de suas conquistas, portanto, estude, leia livros, assista menos, perca menos tempo na internet em sites e redes sociais fúteis! Se não os filhos dos ricos continuarão sempre no poder e os filhos dos pobres serão sempre os comandados.

2 comentários:

  1. Pensamentos muito profundos ! É importante sempre caminhar, caminhar... para frente ! Este é o caminho. Bons conselhos no final. Foque na frente ! Pense ! planeje ! se entregue ao plano e faça a risca que puder ! Você chega lá ! Agente chega lá ! Parabéns e boa sorte !

    ResponderExcluir
  2. Sim ! Lí ! E gostei ! Sábias palavras !

    ResponderExcluir