sábado, 4 de maio de 2013

CONVERSANDO COMIGO MESMO

Cícero Lajes - Em qual pessoa você mais se espelha?
Cícero - Minha mãe. Uma simples agricultora, de poucas letras e muitas palavras, me ensinou os principais valores para se construir um ser humano com dignidade. Além de me formar um historiador.

Cícero Lajes - Quais são seus principais defeitos?
Cícero - Pessimismo e baixa auto estima. Não sei, mas acho que eu poderia acreditar mais em mim mesmo e menos nas pessoas. Descobrir a realidade das coisas foi um choque que me jogou numa crise de identidade. Sinto falta de minhas utopias e ao mesmo tempo detesto sonhadores que não fazem nada para que as coisas aconteçam.

Cícero Lajes - Mas você tem qualidades. Quais são as principais?
Cícero - Sou verdadeiro com minhas amizades; tenho facilidade de interagir com estranhos; conquisto com facilidade a simpatia das pessoas; ler e compreender as mensagens explícitas e implícitas.

Cícero Lajes - Qual o principal problema social hoje?
Cícero - Eu não acho que seja, saúde, drogas, trabalho, segurança... na minha opinião, a falta de organização social é o mais complicado, se você não se une, não reivindica, não busca, não acontece. Alguns setores são organizados, mas a massa é um caos.

Cícero Lajes - Por que você critica tanto a televisão brasileira?
Cícero - Porque é a principal mídia de alienação popular. Ela faz com que as classes populares defendam os interesses das elites enquanto os seus são usurpados. As famílias que comandam a TV brasileira defendem os interesses de seus aliados, e isso observamos nos programas, nos jornais, nas novelas e nas propagandas.

Cícero Lajes - O que você acha da expressão: "bom era no tempo da gente"?
Cícero - Isso é perturbador porque a infância da maioria de meus contemporâneos e antepassados era muito difícil, e hoje as facilidades são imensas. Mas mesmo assim é estranho, eu ainda me pego com saudades de minha infância.

Cícero Lajes - Saudades de quê?
Cícero - da ingenuidade, das brincadeiras, da esperança de mudar de vida, de não conhecer os problemas dos adultos, de se contentar com  pequenas gestos e coisas. Fui privado de muita coisa que eu queria fazer devido minha condição financeira, e embora hoje tenha minha cama, guarda roupa, computador, armário, aparelho de som, geladeira... e uma excelente companheira, ainda assim sinto saudades da infância.

Cícero Lajes - O que você mais gosta de fazer no dia a dia?
Cícero - Eu não vivo sem música, na minha opinião esta é a melhor arte de todos os tempos. Uma boa letra e uma boa melodia é universal e ultrapassa muralhas. Apesar dos diferentes gostos musicais, é uma ótima terapia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário