domingo, 2 de junho de 2013

UMA DISCUSSÃO INTERESSANTE NA III CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Enquanto estive fazendo algumas fotos dos Grupos de Trabalho que debatiam propostas para o texto final da Conferência, parei neste grupo para ouvir suas discussões. Um debate me chamou a tenção quando surgiu no grupo uma proposta de se criar uma espécie de avaliação para os professores. Um dos trechos falava em "promover e/ou penalizar" os mesmos de acordo com suas notas. De bate pronto o sindicalista Erinaldo se posicionou contrário a ideia, dizendo: "promover tudo bem, mas penalizar já mais, pelo contrário deve-se achar um meio de fazer com que ele sinta-se motivado, e não é penalizando que isso vai acontecer". O debate continuou no grupo até que a palavra "penalizar" fosse substituída.

Nota deste blogueiro - Esta ideia não é de hoje e, pela insistência talvez um dia seja implantada em muitos municípios. Quando fazia o curso de História, puxei essa discussão com o professor Gilmar, que me respondeu: "Cícero, se for pra ter esse tipo de avaliação então é melhor anular os concursos públicos, são as avaliações dele que dizem se alguém está apto para lecionar. Além do mais, num país de democracia duvidosa como a nossa, isso pode se tornar um instrumento de perseguição política, pois subentende-se que a avaliação é subjetiva.

Quem vai julgar? Como? De que forma? Com que meios?

Grupo de trabalho da discussão

Legenda: "Validar ou criar um plano de avaliação institucional, estabelecendo critérios para promover e/ou penalizar na progressão da carreira"

Nenhum comentário:

Postar um comentário