quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

NÃO ESQUEÇAMOS! REFLITA COMIGO

Quem xingou o tinga não foi o povo peruano, foi parte preconceituosa de uma torcida fanática assim como o torcedor brasileiro é. Discriminação também há aqui e muito inclusive entre os próprios jogadores e torcedores, ou vindo daqueles que se dizem nossos conterrâneos que vivem em situação social privilegiada.
  • Não esqueçamos que nas letras de músicas do gênero ostentação, pobres e feios não têm vez.
  • Não nos esqueçamos que uma das atividades prediletas de milhões de brasileiros nas redes sociais, é o sarcasmo com pessoas desprovidas de beleza física Feios).
  • Não esqueçamos que os apelidos das torcidas: gambás, porcos, e urubus, entre outros, surgiram por discriminação, sobretudo, “sócio racial”.
  • Não esqueçamos que muitas das piadas contadas na TV brasileira não são mais que estereótipos preconceituosos travestidos em forma de humor sarcástico.
  • Não esqueçamos que para muitos brasileiros: os nordestinos deveriam ser exterminados.
  • Não esqueçamos que um canalha do RS que teoricamente deveria representar seu povo, chamou índios, gays e lésbicas, de “tudo o que não presta”.
  • Não esqueçamos que há pouco tempo atrás queriam implantar a cura gay.
  • Não esqueçamos que há no Brasil grupos neonazistas que tem como vítimas preferenciais: negros, nordestinos, gays, mendigos e índios.
Portanto, lembrem-se de que camadas sociais e étnicas até compõem uma nação, no entanto, elas por si só não podem caracterizar tal, somente o ato generalizado em ambas ou várias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário