segunda-feira, 26 de maio de 2014

CULTURA, OS 12 TRABALHOS DE HÉRCULES: 3º OS POMOS DE OURO DE HESPÉRIDES


Havia uma árvore em uma região longínqua, a Árvore da Sabedoria, que produzia as famosas maçãs de ouro de Hespérides. Estes frutos eram guardados por três belas donzelas que, por sua vez, eram protegidas por um dragão de 100 cabeças e Hércules foi orientado por seu instrutor a precaver-se de forças maiores que as suas e das astúcias sutis que fugissem à sua compreensão. Hércules viajou por todas as terras atrás da Árvore com muita dificuldade e seu mestre acabou enviando Nereu para ajudá-lo. Ele disfarçou-se várias vezes e Hércules não percebeu sua sutil ajuda, sendo assim, Nereu voltou e comunicou ao seu Mestre o fracasso. Mas a saga de Hércules continuou e ele caminhou na escuridão e se deparou novamente com Anteu, como serpente. Através de uma luta intensa, Hércules a venceu. No entanto, a serpente prometeu voltar.

Em seguida, Hércules caminhou em direção ao Sul e encontrou Busiris, um enganador, filho das águas e parente de Poseidon, que tinha como objetivo trazer ilusão aos homens. Convenceu Hércules a segui-lo e o enfraqueceu a ponto dele não mais procurar pela árvore. Fraco, Hércules deixou-se vencer e foi amarrado em uma árvore por um ano pelo seu falso Mestre Busiris. Descobrindo aos poucos quem era seu tirano, lembrou das palavras de Nereu, seu verdadeiro Mestre: “no teu interior há um poder mais elevado, força e sabedoria. Volta-te para ele e evoca a força que existe, o poder que é a herança de todos os homens que são filhos de Deus”. Hércules conseguiu se libertar e venceu a terceira prova e seguiu sua busca, agora com mais sabedoria. 

No caminho, encontrou Prometeu preso com seu fígado sendo devorado por abutres, e parou para salvá-lo. E, sem saber, venceu a quarta prova, que era: aprender a servir. Continuou em seu caminho, quando de repente se depara com Atlas, sofrendo, envergado com o mundo nas costas. Esquecendo sua tarefa, parou para ajudá-lo, retirando de suas costas o mundo e colocando nas suas, para aliviá-lo. Repentinamente, a carga desapareceu e viu-se livre. Diante dele, Atlas estende a mão e, em um gesto de amor, lhe oferece a maçã de ouro. Era o fim de sua busca. Em seguida as três irmãs surgiram e ofereceram as outras maçãs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário