terça-feira, 22 de dezembro de 2015

EM CASO DE COLAPSO NO ABASTECIMENTO, COMO ESTÁ A QUALIDADE DA ÁGUA DE NOSSO SUBSOLO?

"Boi com sede bebe lama", já cantou Flávio José. O baixo nível da barragem Armando Ribeiro Gonçalves, as incertezas sobre um bom inverno, os dias que passamos sem água devido a baixa vazão no Canal de Pataxó, a utilização de medidas emergenciais, utilização da água de poços e a correria do povo comprando caixas d'água me levou a fazer este questionamento transformado em matéria.

Nesta segunda, 22/12/2015 dei uma volta por perto de minha casa e recorri aos meus arquivos para registrar como nosso lençol freático pode estar comprometido, pelo menos o que encontra-se próximo ao Rio Salgado, tanto pela água do esgotamento sanitário quando entope como pelo lixo colocado em terrenos baldios e pasmem: no leito do rio embaixo da ponte! Anos atrás a água que desceu da sangria do Açude Caraúbas entrou na porta da cozinha e saiu na porta da sala dos moradores da rua Juviano Mendes (Rua do Arame) , o risco continua caso o rio venha a colocar outra cheia daquelas.

Voltando à preocupação inicial, caso haja um colapso total no abastecimento da Adutora Sertão Central Cabugi, uma alternativa será utilizar a água dos poços, o pior é que também na zona rural não tenho percebido um esclarecimento da população quanto ao cuidado com o lixo e o esgoto que sai das casas e possam comprometer rios e riachos

Falta consciência, falta atitude, falta um monte de coisa menos absurdos!
 Na foto acima vemos vazamento crônico do saneamento básico na rua Tabelião José Procópio. A CAERN limpa com usando um caminhão, mas messes depois volta o mesmo entope novamente. Um técnico me falou que o entupimento deve-se a sujeiras, como absolventes, areia, e até pedaços de pano. Abaixo vemos o lixo embaixo da ponte do Rio Salgado, Afluente do Rio ceará Mirin.
 O Rio Salgado sofre constantemente com o despejo de lixo animais mortos.
 Na foto abaixo em apenas 3 quadrados eu detectei 6 carcaças de cachorros
O lixão da cidade de Lajes fica a poucos metros do Rio Salgado, afluente do Rio Ceará Mirin

Nenhum comentário:

Postar um comentário