quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

MILHÕES DE ABELHAS MORREM EM APIÁRIO DE ARARAS SP

Apicultor Lúcio Pacagnlle registrou 2 boletins de ocorrência em 3 meses. Usina São João informou que faz alerta e só aplica fungicidas e adubos.

Em 3 meses, milhões de abelhas morreram em um apiário de Araras (SP), gerando prejuízos para o apicultor Lúcio Pacagnlle. A suspeita é que as mortes tenham sido causadas pelo uso de agrotóxicos nos canaviais da cidade.

Cortou o coração. Cheguei para pegar e estavam todas mortas." Lúcio Pacagnlle, apicultor

A mortandade atingiu pelo menos 200 colmeias, sobrando apenas 28. “Cortou o coração. Cheguei para pegar e estavam todas mortas”, disse Pacagnlle.

A produção dele fica em Araras e outra perto de uma mata em Limeira. As abelhas que ainda estão vivas se mostram atordoadas e ficam pelo chão e na porta da colmeia, segundo o apicultor.
Uso de agrotóxicos em canavial
Para o apicultor, é difícil supor que alguma doença tenha praticamente exterminado as colmeias. Para ele há fortes indícios de que as mortes tem a ver com o uso de agrotóxicos nos canaviais da Usina São João.

“É pulverização de avião que está ocorrendo na região de Araras inteirinha. Espalha o veneno e vai espalhando pelo mato. Um trabalho de dois anos e coisa de cinco minutos destrói tudo”, disse, o apicultor que já registrou dois boletins de ocorrência em 3 meses.

A Usina São João informou que dois dias antes da pulverização faz um alerta apenas para os apicultores que fazem parte de uma associação em Araras, o que não é o caso de Pacagnlle, que perdeu a maioria das colmeias. Disse ainda que a pulverização mais próxima foi a 11 quilômetros da propriedade dele e que só aplica fungicidas e adubos, e não inseticidas.
Casos na região

Em janeiro, mais de 10 milhões de abelhas morreram em um apiário na zona rural de Porto Ferreira (SP) em menos de uma semana. Segundo o proprietário, todo o trabalho de quase quatro décadas foi perdido nas 136 colmeias por conta de agrotóxicos de cana-de-açúcar. O laudo com as causas deve sair em março.
saiba mais


Há 5 anos, 5 milhões de abelhas morreram em Santa Cruz da Conceição. Entre 2012 e 2013, o mesmo aconteceu em Gavião Peixoto e, em 2014, dez apicultores de Leme perderam centenas de colmeias. Em 2016, em Araras, mais de 100 mil insetos do apicultor João Franco morreram.

Uso incorreto de agrotóxicos
Além da produção do mel, as abelhas são importantes agentes polinizadores de várias culturas de alimentos. Em outubro do ano passado, pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) divulgaram o primeiro resultado do mapeamento sobre mortandade de abelhas no Estado de São Paulo.

De junho de 2015 até maio de 2016, as equipes analisaram 13 apiários de 6 cidades e concluíram que a principal causa da morte desses insetos é o uso incorreto de agrotóxicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário